RedeGNI

Global News International

Agências de Notícias Internacionais

Túnel desaba na Índia e 41 trabalhadores estão presos

A 14 metros de distância entre os escombros, 41 trabalhadores estão presos dentro de um túnel em uma autoestrada em Uttarkashi, norte da Índia, desde o dia 12 de novembro. Uma máquina de perfuração pode os colocar a poucas horas da liberdade.

As equipes de resgate estão trabalhando com cautela desde o deslizamente de terra, em Uttarkashi, quando houve um colapso na seção do túnel de 4,5 km a cerca de 200 metros da entrada.

Na última quarta-feira (22/11), os avanços foram frustrados depois que as operações tiveram que ser interrompidas quando a máquina de perfuração que atravessava a rocha e o concreto bateu em hastes de metal.

Contudo, o metal já foi cortado com cortadores de gás. E as equipes acima do solo estão se preparando para a chegada dos 41 trabalhadores. No local, já se encontram macas equipadas com rodas, prontas para puxar os homens exaustos através de 57 metros (187 pés) de tubo de aço que está sendo colocado no meio dos escombros.

Ambulâncias e um hospital de campanha também estão preparados para receber os trabalhadores.

Bhaskar Khulbe, ex-conselheiro do primeiro-ministro e integrante do governo que supervisiona os esforços de resgate, explicou ao Daily Mail que ainda falta “perfurar 14 metros para dentro do túnel”:

“Se tudo correr bem, esperamos alcançá-los hoje à noite”, acrescentou que “os trabalhadores presos estão em bom estado de espírito”.

Nas últimas duas semanas, os homens foram mantidos vivos com oxigênio bombeado para o local e alimentos como nozes, grão de bico e pipoca sendo enviados a cada duas horas para o grupo.

Uma declaração do governo também observou que os planos estão “sujeitos a alterações devido a falhas técnicas, ao terreno desafiador do Himalaia e a emergências imprevistas”.

A área fora do túnel tem sido movimentada, com parentes preocupados se reunindo para fazer orações e equipes de resgate que também se unem aos familiares em um santuário hindu erguido na entrada do local.

O chefe da Força Nacional de Resposta a Desastres, Atul Karwal, garantiu que suas equipes estão preparadas para, assim que o tubo de aço romper, retirarem os homens o mais rápido e seguro possível. “Colocamos rodas sob as macas para que, quando entrarmos, possamos tirar as pessoas uma a uma da maca”, explicou.

A queda de mais destroços atrasou os esforços de resgate que teme por novos desmoronamentos e quebras de máquinas de perfuração. A extensa construção em Uttarakhand ainda está sujeita a deslizamentos de terra.

ANI/EXTRA

Midia move o mundo