A verdade dos fatos é a nossa notícia

Agências de Notícias Internacionais

Primeiro-ministro de Portugal é alvo de buscas pela polícia; Ele acaba de pedir demissão

A polícia de de Portugal fez nesta terça-feira (7) uma operação de busca e apreensão na casa do primeiro-ministro do país, António Costa, segundo o jornal português “Público”.

O chefe de gabinete de Costa foi preso, e sedes de ministérios foram alvos da mesma operação, parte de uma investigação do Ministério Público português sobre um suposto esquema irregular de exploração de lítio e de venda de hidrogênio verde por parte do governo do país (leia mais abaixo).

A rede de TV SIC que Costa ofereceu sua renúncia ao presidente.

A Procuradoria-geral de Portugal afirmou que Costa, que cumpre seu terceiro mandato à frente do governo português, é um dos investigados no caso.

O premiê cancelou sua agenda do dia, já se reuniu com o presidente do país, Marcelo Rebelo de Sousa – que é o chefe de Estado de Portugal – e fará um pronunciamento pela televisão nesta tarde. A oposição pediu sua renúncia.

Segundo a PGR portuguesa, durante a operação desta manhã, a polícia cumpriu 42 mandados de busca a apreensão, entre eles:

  • A sede do Ministério de Infraestrutura;
  • A sede do Ministério de Meio Ambiente;
  • A Secretaria do Estado de Energia e Clima;
  • Empresas investigadas no caso.

Além do premiê, o Ministério Público português também afirmou que o ministro de Infraestrutura de Portugal, João Galamba, é um dos investigados no caso. Foi a primeira vez que promotores nomearam os suspeitos desde o início

O Ministério do Meio Ambiente confirmou à agência de notícias portuguesa estatal Lusa que a polícia fez buscas em sua sede, em Lisboa.

A imprensa portuguesa também afirma que, além do chefe de gabinete, outras quatro pessoas foram detidas:

  • um consultor próximo ao primeiro-ministro;
  • o presidente da Câmara de Vereadores da cidade de Sines;
  • e dois executivos de empresas ligadas ao suposto esquema.

Pedidos de demissão

Por conta da operação, partidos de oposição a António Costa exigiram que o premiê se demita ou, caso ele se negue a isso, que o presidente do país, Marcelo Rebelo de Sousa, dissolva o Parlamento e convoque novas eleições.

Após a confirmação da operação, António Costa se reuniu com Marcelo Rebelo de Sousa, e, também segundo o “Público”, os dois cancelaram suas agendas do dia.

Sousa cumpre seu terceiro mandato, o mais forte deles – em janeiro de 2022, após dissolver seu então governo de coalizões, venceu as eleições com maioria absoluta e, desde então, governa sem a necessidade de alianças.

O suposto esquema

Segundo a PGR, as investigações que geraram os mandados de busca, apreensão e detenção apuram supostas irregularidades em contratos do governo para a exploração de lítio em minas portuguesas, além da produção de energia a partir de hidrogênio.

Três projetos diferentes, no total, são investigados no mesmo caso:

  • Concessões de exploração de lítio nas minas do Romano, na cidade de Montealegre, e do Barroso, em Boticas;
  • Um projeto para uma central de produção de energia a partir de hidrogênio na cidade de Sines;
  • Um projeto para a construção de um datacenter, também em Sines, pela empresa Start Campus.

António Costa apresenta a demissão

A rede de TV SIC que Costa ofereceu sua renúncia ao presidente.

A Procuradoria-geral de Portugal afirmou que Costa, que cumpre seu terceiro mandato à frente do governo português, é um dos investigados no caso.

ANI

Rede GNI | A verdade dos fatos é a nossa notícia https://redegni.com.br/ Twitter: @RedeGNI Gettr: @RedeGNI Instagram: RedeGNIreal