RedeGNI

Global News International

EsportesManchete

Novak Djokovic é campeão do US Open 2023 ao vencer Daniil Medvedev

O super campeão Novak Djokovic venceu o russo Daniil Medvedev, na final do US Open 2023, na noite deste domingo, 10, em uma batalha épica, na quadra central de Nova York.

Anteriormente, Djoko venceu em NY por quatro vezes.

Ao vencer por 3 sets a 0, Djoko conquista o seu 24º torneio de Grand Slam da sua brilhante carreira.

É o maior jogador de todos os tempos.


Novak Djokovic é incansável. Já são 15 anos desde que o sérvio conquistou o primeiro título de Grand Slam. Neste domingo, ele levantou pela 24ª vez o troféu de um dos quatro principais torneios do mundo no tênis. A mais recente conquista foi no US Open. Tetracampeonato em Nova York que faz Djokovic igualar a australiana Margaret Court, maior vencedora da história, com 24 Grand Slams.

Justamente no torneio que celebra os 50 anos da igualdade de pagamentos na premiação entre homens e mulheres no Aberto dos Estados Unidos, Djokovic iguala Court, que dominou o tênis feminino entre os anos 1960 e 1970. Após a conquista, Djokovic comemorou o título com uma camisa com um 24, com foto e referência a Kobe Bryant, em razão do número de títulos de Grand Slams.

Para atingir esse mais novo feito na carreira, aos 36 anos, o sérvio precisou correr muito para vencer o russo Daniil Medvedev, de 27 anos, por 3 sets a 0, parciais de 6/3, 7/6(5) e 6/3. Djokovic foi incansável. Ok, ele deitou no chão depois de uma troca de 31 rebatidas, alongou durante o segundo set, sentou e colocou água gelada na nuca. Apesar de tudo, era impressionante como chegava em quase todas as bolas na defesa enquanto atacava com potência e precisão.

E curioso é quem foi Medvedev quem recebeu atendimento médico no intervalo do segundo para o terceiro set, recebendo massagem no ombro esquerdo. Na linha das curiosidades, o russo também caiu em quadra no meio de um ponto e ainda discutiu com o treinador no meio do terceiro set. Deve cansar muito o corpo e a mente jogar contra Djokovic.

Essa foi a décima decisão de Djokovic no US Open, com títulos em 2011, 2015, 2018 e 2023. Ou seja, o sérvio mais perdeu do que ganhou finais no Arthur Ashe Stadium. Foi na quadra central de Nova York, inclusive, que ele disputou pela primeira vez uma decisão de título em um Grand Slam. E perdeu para Roger Federer. Mas o sérvio é um incansável.

O adversário deste domingo, aliás, havia vencido a decisão entre ambos em 2021. Aquele é, até hoje, o único título de Grand Slam de Medvedev. Naquele mesmo ano ocorrera a primeira vez que se encontraram em uma final de Grand Slam, quando Djokovic venceu o russo na decisão do Australian Open, torneio em que já é o maior campeão da história.

Ao todo, Novak Djokovic acumula 10 títulos do Australian Open, três de Roland Garros, sete de Wimbledon e, agora, quatro do US Open. Empatado em 24 conquista com Margaret Court, o sérvio se descola da americana Serena Williams, já aposentada e com 23 Grand Slams na conta. Entre os homens, o espanhol Rafael Nadal é quem está mais perto, com 22 conquistas e com a promessa de voltar a jogar em 2024. O suíço Roger Federer deixou as quadras com 20 troféus de Majors.

Além de mais um troféu para a galeria e da retomada do posto de número 1 do mundo no ranking que será divulgado nesta segunda-feira, Djokovic ainda recebeu US$ 3 milhões, cerca de R$ 14,9 milhões, como premiação pelo título. Medvedev permanece como terceiro colocado do ranking mundial. Enquanto o espanhol Carlos Alcaraz, derrotado pelo russo na semifinal, se mantém como segundo do mundo. A nova e a novíssima geração do tênis está pronta. Contudo, Djokovic é incansável.



GNI/GE

Midia move o mundo