A verdade dos fatos é a nossa notícia

10 anosAFPAssociated PressDestaqueEUAPolítica

Donald Trump vence primárias em New Hampshire e se consolida como favorito

Donald Trump vence primárias em New Hampshire e se consolida como favorito

O ex-presidente Donald Trump venceu as primárias republicanas em New Hampshire na terça-feira, consolidando sua liderança na corrida pela indicação de seu partido e aproximando-se de uma possível disputa com o presidente Joe Biden no final do ano, segundo projeções da rede Fox News, ABC News e NBC News.

Sua principal rival, a ex-embaixadora dos EUA na ONU Nikki Haley, sofreu uma dura derrota no estado, onde havia apostado fortemente em sua campanha. Haley foi deixada como a única grande candidata após a aposentadoria do governador da Flórida, Ron DeSantis, no fim de semana, e tentou se apresentar como uma alternativa moderada e revigorante a Trump. No entanto, seus ataques ao ex-presidente, a quem acusou de ter deterioração mental, não convenceram os eleitores.

Com 58% dos votos apurados, Trump está à frente de Haley por 53,6% (45%), que já esclareceu que não abandonará a competição caso a tendência se confirme e o magnata a ultrapasse largamente. Trump tem 100.500, em comparação com os 84.477 de Haley, segundo dados oficiais divulgados pela mídia local.

Depois de conhecidos os resultados, a ex-governadora da Carolina do Sul felicitou Trump pela vitória, mas não deu por encerrada a sua própria corrida eleitoral. “New Hampshire é o primeiro (principal) do país, mas não o último”, disse ela em discurso proferido logo depois que as principais redes do país declararam vencedor seu único rival naquela corrida. “A corrida republicana está longe de terminar”, disse ela.

Para Haley, a vitória de Trump beneficiaria tanto o atual presidente, o democrata Joe Biden, quanto a vice-presidente, Kamala Harris. “Os republicanos perderam quase todas as eleições com Donald Trump. Perdemos o Senado. Perdemos a Câmara dos Deputados. Perdemos a Casa Branca. Perdemos em 2018, em 2020 e em 2022. O segredo mais mal guardado na política é o quanto os democratas querem concorrer contra Trump. “Eles sabem que ele é o único republicano no país que Biden pode derrotar”, disse Haley.

Dezenas de apoiadores, doadores e legisladores republicanos compareceram à sede da campanha de Trump, incluindo a congressista Marjorie Taylor Greene e a ex-candidata ao governo do Arizona, Kari Lake. O polêmico ex-deputado George Santos, que foi expulso da Câmara dos Deputados por ter embolsado dinheiro de sua campanha eleitoral, também apareceu no comando da campanha. “Gosto da Haley, não tenho nada contra ela, mas ela não vai ganhar”, disse Santos aos repórteres na entrada do salão de eventos do hotel Sheraton.

As primárias de New Hampshire são as primeiras primárias propriamente ditas deste ciclo eleitoral nos Estados Unidos, que começou na semana passada para o Partido Republicano com as prévias de Iowa.

Em Iowa, Trump ficou em primeiro lugar com 51% dos votos, seguido pelo governador da Flórida Ron DeSantis (21,2%), pelo ex-governador da Carolina do Sul e ex-embaixador das Nações Unidas Nikki Haley (19,1%) e pelo empresário Vivek Ramaswamy (7,7%).

Ao longo do caminho, tanto DeSantis quanto Ramaswamy desistiram das primárias e apoiaram Trump, deixando o ex-presidente e Haley sozinhos na disputa.

Nas primárias republicanas de New Hampshire estão apenas 11 delegados em jogo dos 2.429 que serão convocados na Convenção Nacional Republicana que nomeará o candidato vencedor em meados de julho em Milwaukee. A lei eleitoral de New Hampshire também estabelece que a sua deve ser sempre a primeira do país em cada ciclo eleitoral. Nesta ocasião, os democratas quiseram alterar o seu calendário primário para minimizar New Hampshire, onde o agora presidente, Joe Biden, ficou em quinto lugar há quatro anos. Porém, o estado também convocou a eleição, na qual Biden não participa, não tem o reconhecimento do partido e na qual os delegados não serão distribuídos.

Com informações da EFE, AFP e Associated Press

Midia move o mundo