A verdade dos fatos é a nossa notícia

Agências de Notícias Internacionais

A tragédia na Irlanda não foi pior devido a um herói brasileiro

Um entregador carioca que mora na Irlanda reagiu ao ataque a facadas que deixou 5 feridos — 3 deles crianças — perto de uma escola de Dublin, nesta quinta-feira (23). De acordo com a imprensa local, Caio Benício, de 43 anos, impediu que a tragédia fosse ainda maior.

Em entrevista na manhã desta sexta (24), Caio explicou que trabalha como entregador no país e não pensou duas vezes após passar e ver a situação.

“Eu trabalho de delivery aqui, eu estava passando em frente a uma escola quando eu vi uma briga na calçada. Eu achei, a princípio, que fosse uma briga normal com um homem e uma mulher. Depois eu fiquei sabendo que ela era professora da escola. Eles estavam brigando e puxando uma garotinha”, contou Caio.

O ataque contra a escola gerou uma série de protestos em Dublin. Nesta sexta, as autoridades disseram que 34 pessoas foram presas durante uma série de manifestações anti-imigração violentos. O homem que atacou a escola e foi derrubado por Caio seria estrangeiro. Um ônibus e um carro da polícia foram queimados durante os protestos.

O governo do país não considera o ataque contra a escola como um ato de terrorismo, mas as investigações ainda não determinaram as motivações do crime. No total, cinco pessoas ficaram feridas, sendo três crianças.

Ataque em área movimentada

Caio viu que aquela cena na Parnell Square, praça movimentada de uma área residencial no centro da capital irlandesa, não era uma briga comum.

“Aí eu diminuí para ver o que estava acontecendo quando o cara conseguiu agarrar a garotinha e puxou uma faca. Eu parei a moto e o vi esfaqueando a menininha no peito. Eu não tive tempo de pensar. Fui para cima, tirei o capacete, até para me proteger, e acertei com o capacete na cabeça e ele caiu”, disse o motoboy.

Criança

O brasileiro contou que a menina parecia ter cerca de cinco anos de idade, e que não para de pensar na criança, que está internada.

“Achei que fosse só a garota, mas depois eu vi que ele tinha esfaqueado duas crianças dentro da escola e a professora. Mas acho que a menina está em estado mais grave”, disse Caio, que só soube da gravidade dos ferimentos da criança depois.

Deixou o Brasil há um ano

O carioca se mudou para a Irlanda há um ano, em busca de melhores condições de vida para a família. Ele tem dois filhos e tinha um restaurante em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, que pegou fogo há três anos. Ele contou que o seguro não pagou todo o prejuízo e buscou outras formas de sustentar a família.

“Na hora você não tem muito tempo para pensar. As pessoas perguntam e dizem que é ato de bravura, de coragem. Mas quando você vê um homem com uma faca e uma garotinha muito pequena, você não tem tempo para pensar. Age por instinto. Eu agi por instinto. Joguei a moto no chão e fui para cima”, destacou Caio.

Caio conta que permaneceu no local até a chegada da polícia para prestar depoimento e liberar o local. Ele conta que pensou nos filhos e se colocou no lugar dos pais que correram até a escola para buscar as crianças.

ANI

Midia move o mundo