A verdade dos fatos é a nossa notícia

Brasil

São Paulo: Greve afeta linhas de Metrô e CPTM

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), e o prefeito da capital, Ricardo Nunes (MDB), decretaram ponto facultativo nesta terça-feira (3) nos órgãos públicos da cidade por conta da greve anunciada por trabalhadores do Metrô, da CPTM e da Sabesp.

As categorias definiram a paralisação em assembleia na noite desta segunda-feira (2) em protesto contra os planos de privatização das companhias.

A greve começou à 0h desta terça, e a previsão é que ela dure 24 horas. O rodízio foi suspenso, mas a Zona Azul segue funcionando.

  • Até por volta de 8h, estavam sendo afetadas as seguintes linhas: 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha, 10-Turquesa, 12-Safira e 13-Jade.
  • Funcionavam parcialmente, até por volta de 8h, as seguintes linhas: 7- Rubi (de Caieiras a Luz) e 11-Coral (de Guaianases a Luz)
  • As seguintes linhas, geridas pela iniciativa privada, funcionavam normalmente: 4-Amarela, 5-Lilás, 8-Diamante e 9-Esmeralda

A circulação de trens do Metrô e da CPTM foi afetada no início desta manhã mesmo após a Justiça do Trabalho determinar que os sindicatos dos metroviários e dos ferroviários mantivessem 100% da frota circulando nos horários de pico e 80% nos demais horários.

Corrida por app mais cara

Passageiros encontraram nesta manhã portões fechados em algumas estações. Eles também relataram preço alto em transporte por aplicativo e lotação em ônibus.

Um passageiro que não quis se identificar informou que uma corrida por transporte por aplicativo do Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo, até o Brooklin, na Zona Sul, que em média custava R$ 53, disparou para cerca de R$ 155 nesta manhã. Além disso, os usuários contaram que muitos chamados não eram completados.

Governador Tarcísio critica greve

O governador Tarcísio de Freitas afirmou nesta terça que a privatização não é motivo para paralisação e afirmou considerar a greve do Metrô e da CPTM “política, ilegal e abusiva”.

A greve foi convocada pelos sindicatos da categoria.

“Infelizmente aquilo que a gente esperava tá se concretizando. Temos aí uma greve de Metrô, CPTM, uma greve ilegal, uma greve abusiva, uma greve claramente política, uma greve que tem como objetivo a defesa de um interesse muito corporativo. E quem tá entrando em greve tá se esquecendo do mais importante, que é o cidadão”, afirmou em pronunciamento no Palácio dos Bandeirantes.

G1/GNI

Midia move o mundo