A verdade dos fatos é a nossa notícia

Agências de Notícias Internacionais

Tiroteio deixa ao menos 3 mortos na Flórida

Três pessoas morreram após serem baleadas, neste sábado (26), em uma loja da rede Dollar General, na cidade de Jacksonville, na Flórida, nos Estados Unidos, em um incidente que a polícia descreveu como motivado por questões raciais.

“Este tiroteio foi motivado por questões raciais e ele odiava negros”, disse o xerife de Jacksonville, T.K. Waters, em uma coletiva de imprensa.

Waters disse que o atirador, que é branco e se matou após o ataque, deixou para trás evidências que delineavam sua “ideologia de ódio repugnante” e seu motivo para o ataque.

Todas as três vítimas eram negras.

O tiroteio aconteceu a poucos quarteirões da Edward Waters University, uma escola historicamente negra onde os alunos que vivem no campus foram instruídos a permanecer em suas residências.

O suspeito do tiroteio estava barricado na loja depois de abrir fogo e deixar “várias fatalidades”, disse a prefeita de Jacksonville, Donna Deegan. A senadora estadual Tracie Davis disse à CNN que o suspeito agora está morto.

As circunstâncias da morte do atirador não são claras. Não ficou imediatamente claro se as vítimas foram baleadas dentro ou fora da loja.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros de Jacksonville, Eric Prosswimmer, disse à CNN que o departamento estava “em stand by” para atender às vítimas, mas não pôde compartilhar nenhuma informação sobre quantas pessoas ficaram feridas.

Região possui várias igrejas

A área próxima à loja Dollar General conta com várias igrejas e um prédio de apartamentos do outro lado da rua.

A Edward Waters University, uma escola particular cristã historicamente negra que fica a menos de uma milha a sudeste da loja, emitiu um alerta de permanência no local em todo o campus. O alerta dizia que estudantes, professores e funcionários não parecem estar envolvidos, de acordo com relatórios preliminares.

“Nossa polícia do campus garantiu todas as instalações do campus. Os alunos estão sendo mantidos em suas residências até que a cena seja desocupada”, disse o alerta.

Davis, cujo distrito inclui Jacksonville, chamou o tiroteio de “dia trágico” para a cidade em uma postagem no X, a plataforma que era anteriormente o Twitter.

“Estou oferecendo minhas orações às famílias das vítimas e estou a caminho de me encontrar com o xerife de Jacksonville, T.K. Waters, para obter respostas”, postou Davis. “Este tipo de violência é inaceitável em nossas comunidades”, acrescentou.

Houve pelo menos 470 tiroteios em massa nos Estados Unidos em 2023, segundo o Gun Violence Archive, que define um tiroteio em massa como aquele em que quatro ou mais pessoas são feridas e/ou mortas, não incluindo o atirador.

A nação ultrapassou a marca de 400 em julho, o mês mais cedo em que um número tão alto foi registrado desde 2013, segundo o grupo.

A violência armada em Jacksonville marcou um dos vários incidentes de tiroteio relatados nos EUA em dois dias, incluindo em Massachusetts e Oklahoma. Tiros foram disparados em várias cidades, interrompendo atividades normais de verão como jogos de futebol americano de colégio e compras de fim de semana.

Em Boston, pelo menos sete pessoas ficaram feridas no sábado de manhã em um tiroteio que interrompeu um desfile popular, disse a polícia. Um jogo de futebol americano de colégio em Choctaw, Oklahoma, teve um final mortal na noite de sexta-feira, depois que uma possível discussão levou a três pessoas sendo baleadas, segundo as autoridades. Uma delas – um menino de 16 anos – morreu.

E quatro pessoas, incluindo um adolescente de 17 anos, foram mortas em um apartamento em Joppatowne, Maryland, no sábado de manhã, informaram as autoridades.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês para a CNN.

Rede GNI | A verdade dos fatos é a nossa notícia https://redegni.com.br/ Twitter: @RedeGNI Gettr: @RedeGNI Instagram: RedeGNIreal