A verdade dos fatos é a nossa notícia

Agências de Notícias InternacionaisInternacionalManchete

Drama no Paquistão: Exército suspende resgate em teleférico

Em uma operação complexa e de alto risco, as forças do Paquistão conseguiram resgatar nesta terça-feira (22) duas das sete crianças que estão presas em um teleférico no norte do país.

Mas, por conta da falta de claridade, as autoridades decidiram suspender as operações, e cinco crianças e um adulto seguem dentro da cabine.

Inicialmente, as forças de resgate divulgaram que haviam resgatado quatro crianças no total. No entanto, duas tentativas falharam, e apenas duas crianças foram retiradas da cabine.

O grupo ficou preso no início da manhã no horário local (fim da noite no horário de Brasília) a 274 metros de altura depois que um dos dois cabos do teleférico em que estavam se rompeu quando eles iam para a escola – a região, no norte do Paquistão, é extremamente montanhosa e, por isso, muitos estudantes recorrem a teleféricos como meio de transporte.

O resgate é considerado de alto risco por conta de fortes ventos e da pouca sustentação da cabine. As duas crianças resgatadas, segundo as autoridades, estão sob cuidados médicos, mas a condição de saúde delas é boa.

Militares que conduzem a operação por meio de helicópteros haviam feito duas tentativas anteriores de resgate. Na primeira delas, uma das crianças chegou a começar a ser içada, mas a equipe viu riscos para a estabilidade da cabine do teleférico.

O temor é que o vento gerado pelo helicóptero chacoalhe demais a cabine e a desestabilize.

Ainda assim, a equipe corre contra o tempo. Por volta de 10h (horário de Brasília), os passageiros completavam cerca de 12 horas no local.

Segundo as autoridades locais, o cabo se rompeu por volta de 9h no horário local (23h de segunda-feira em Brasília). Uma das crianças chegou a desmaiar “devido ao calor e ao medo”, disse Shariq Riaz Khattak, um oficial de resgate, à Reuters. Até a última atualização desta reportagem, não havia informações sobre o estado de saúde dela.

ANI/AFP/G1/GNI

Rede GNI | A verdade dos fatos é a nossa notícia https://redegni.com.br/ Twitter: @RedeGNI Gettr: @RedeGNI Instagram: RedeGNIreal