RedeGNI

Global News International

BrasilManchete

Rio: Dez suspeitos entram em confronto com a PM e morrem

Uma operação no Complexo da Penha, na Zona Norte do Rio, deixou ao menos dez mortos e quatro feridos, entre eles um policial militar, nesta quarta-feira (2). O Comando de Operações Especiais (COE) da PM e a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil atuam na região desde o início da manhã, e houve registro de confronto em diversos pontos da comunidade, como Vila Cruzeiro e nos Morros da Caixa D’água e do Sereno.


Segundo a PM, um agente ficou ferido e foi socorrido para o Hospital Estadual Getúlio Vargas (HEGV), na Penha, de onde foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar, no Centro. O quadro de saúde dele é estável. No confronto, outros dois criminosos, identificados como Carlos Alberto Marques Toledo, o Fiel da Penha, e Claudio Henrique da Silva Brandão, o Do Leme, foram baleados e não resistiram. Segundo a corporação, eles são lideranças do Comando Vermelho nas comunidades do Juramento e da Chatuba, respectivamente, e estavam foragidos.


Ainda segundo a PM, até o momento, 11 suspeitos foram levados para o HEGV, dos quais nove morreram. Entretanto, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) informou que dez pessoas deram entrada já sem vida e outros dois feridos têm quadro estável. Ainda não há informações sobre o estado de saúde do homem que deu entrada na unidade por volta das 12h. Familiares estiveram no hospital para ter notícias dos baleados e policiais civis da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC), também foram para o local.


Moradores afirmaram que helicópteros sobrevoam a região desde às 3h, com voos rasantes, e que criminosos soltaram fogos para alertar a chegada de policiais e atearam fogo em barricadas. Na Rua Nossa Senhora da Penha, no Parque Proletário, diversas lixeiras foram incendiados pelos bandidos, para atrapalhar o avanço das equipes. Ainda segundo relatos, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) também esteve nos acessos do Complexo do Alemão e, segundo a plataforma Onde Tem Tiroteio (OTT), houve registros de tiros na comunidade do Canitar.


A ação desta quarta-feira tem como objetivo localizar e prender integrantes do Comando Vermelho, que domina a região, após um monitoramento do setor de Inteligência ter indicado que ocorreria uma reunião de lideranças da facção no local. Até o momento, sete fuzis, munições e granadas foram apreendidos e barricadas foram removidas. Por conta do intenso confronto, a Secretaria Municipal de Educação (SME) informou que 16 unidades escolares foram impactadas, afetando 3.220 alunos.


ODIA


Midia move o mundo