Vasco volta ao ‘palco’ do Castelão

Apoio total da torcida, boa atuação do time e três gols de Nenê. O roteiro até pode ser repetido sábado, no Castelão, contra o Sampaio Corrêa, mas é de uma tarde de maio de 2016.

Cinco anos depois, o Vasco volta ao Castelão, em São Luís, para tentar manter a flagrante recuperação na Série B. A mobilização dos maranhenses indica que haverá novo show do público local, uma ajuda mais do que bem-vinda na tentativa de aproximação ao G-4.

Claro que as circunstâncias daquele confronto eram diferentes. Foi a estreia na competição, logo após o Vasco ser campeão carioca sobre o Botafogo e vencer o CRB pela Copa do Brasil. Na época, o time comandando por Jorginho mantinha a boa fase iniciada na Série A do ano anterior – ela não foi suficiente para evitar o terceiro rebaixamento.

Sem as restrições da pandemia de Covid-19, os vascaínos da região foram em peso ao estádio. Viram uma atuação de luxo de Nenê, que marcou três gols em um jogo pela primeira e única vez no clube. Antes de balançar a rede adversária, o meia deu uma assistência a Riascos, que abriu o placar. Foi a despedida do atacante colombiano, que posteriormente regressaria em 2018.

– Nenê está nesse nível técnico altíssimo desde o ano passado. Foi desejado por algumas equipes, é um meia-atacante que está mesmo em falta no Brasil e ficamos felizes por contar com ele para a temporada – comentou o treinador à época.

Nenê atordoou os defensores do time então comandado pelo sérvio Petkovic, ex-jogador do Vasco. O show continuou com os três gols. Primeiro, por cobertura, após receber passe de Riascos. Depois, ao completar cruzamento de Andrezinho. Por último, ao mostrar oportunismo e aproveitar rebote do goleiro. Todos com a perna esquerda, a mesma que neste retorno já deu duas assistências e marcou cinco gols e ajudou o time de Fernando Diniz a entrar nos eixos.

– Quase não faço três gols na mesma partida. É a primeira vez aqui no Vasco. Sabíamos da dificuldade da estreia. Começamos com o pé esquerdo, no meu caso (risos) – brincou o jogador na ocasião.

O apoio dos vascaínos começou cedo. Assim como o registrado em 2021 no Sergipe, onde o Vasco ganhou do confiança, os torcedores fizeram plantão no aeroporto de São Luís. Esperaram por horas o voo que atrasou para demonstrar o apoio. Fizeram, na época, uma carreata com o ônibus que levou a delegação até o hotel.

Naquela temporada, o Vasco subiria para a Série A com a terceira colocação. O Sampaio Corrêa seria rebaixado à Série C.