UFC 269: Do Bronx mantém o cinturão e Julianna Peña vence Amanda Nunes

Charles do Bronx segue calando os críticos. Ouviu lutadores da categoria falarem que ele desiste e que não é isso tudo. Mais uma vez, provou que não é campeão a toa.

Na luta principal do UFC 269, na madrugada deste sábado para domingo, em Las Vegas (EUA), ele sofreu no primeiro round contra Dustin Poirier, recebeu golpes duros, mudou a estratégia no segundo assalto e, no terceiro, encaixou o mata-leão para finalizar o americano a 1m02s.

– Eu sou o campeão mundial. Eles falam, falam e falam, mas eu venho aqui e faço – desabafou Charles, após a luta.

Agora são 15 vitórias por finalização no UFC, recorde absoluto da companhia no quesito. A sequência de vitórias também impressiona. Já são 10. E ele prometeu enfileirar a categoria. Alguém ainda duvida?


O que parecia impossível aconteceu. Amanda Nunes não é mais a campeã do peso-galo (até 61kg) feminino. Com uma sequência de 12 vitórias, a Leoa sucumbiu diante de Julianna Peña e foi finalizada aos 3m26s do segundo round com um mata-leão, no co-evento principal do UFC 269, na madrugada deste sábado para domingo, em Las Vegas (EUA). A americana agora é a nova detentora do cinturão, enquanto a brasileira segue com o título do peso-pena (até 66kg). O resultado representa uma das maiores – senão a maior – zebras da história do MMA.

Peña foi ao solo logo no início ao se desequilibrar após um chute baixo. A americana ficou de pé rapidamente e tentou ir para cima, mas voltou ao chão ao ser desequilibrada pela Leoa. No solo, Amanda fez a transição para as costas, tentou atacar o pescoço, mas Julianna se defendeu bem, e a campeã desistiu da posição e saiu das costas. Por cima, a brasileira trabalhava da meia-guarda com tranquilidade, mas a desafiante, se não ameaçava, ao menos conseguia neutralizar os golpes da rival.

Na volta para o segundo round, Amanda sorria enquanto caminhava na direção de sua adversária, mas, na trocação franca, Peña conectou golpes duros e balançou a campeã. A brasileira sentiu os golpes, porém a luta seguiu aberta. Nenhuma das duas se defendia e ambas absorviam golpes no rosto, com Julianna acertando os principais socos. A americana conseguiu uma queda, foi para as costas e encaixou o mata-leão para conquistar o cinturão do peso-galo.

COMBATE, Edição Léo Vilhena

error: CONTEÚDO PROTEGIDO