Síria entra no 11º ano da guerra sem acordo de paz

Mais de 5,6 milhões de refugiados, 6,7 milhões de deslocados, 387 mil mortos, 200 mil desaparecidos e US$ 1,2 trilhão em perdas econômicas são o custo da guerra na Síria até o momento, de acordo com dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (EBC) e da ONG Visão Mundial. Desde 2011, o regime de Bashar al-Assad e grupos rebeldes se enfrentam violentamente no território sírio, na maior parte do tempo amparados por potências estrangeiras.  Um cessar-fogo está em vigor desde o ano passado, mas o fim do confronto ainda é uma realidade distante, afirmam especialistas ouvidos pelo GLOBO.

— Em várias partes da Síria já não há mais conflito armado, mas, como também não há um acordo político entre as partes beligerantes, a situação está bloqueada — afirma Fabrizio Carboni, diretor regional do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) para o Oriente Médio. — Em Homs, que foi uma dos epicentros da guerra, os ataques pararam há quatro ou cinco anos, mas, toda vez que vou para lá, tenho a sensação de que os conflitos terminaram ontem, porque nada mudou. Os bairros antigos continuam totalmente destruídos.

AIN, O Globo, Rede GNI