Rússia ataca teatro onde estavam 1.000 civis se protegendo contra as bombas

Autoridades estão resgatando com vida os civis que estavam abrigados em um teatro bombardeado na cidade de Mariupol nesta quarta-feira. A Ucrânia acusa a Rússia pelo ataque, que nega a autoria. Estima-se que até mil mulheres e crianças estavam no abrigo antibombas do edifício, que resitiu ao ataque. Ainda não há informações sobre feridos.

Sergei Taruta,  deputado da região de Donetsk, escreveu no Facebook: “Depois de uma noite terrível sem saber, finalmente temos boas notícias de Mariupol na manhã do 22º dia da guerra. O abrigo antibombas [do teatro] aguentou. Os escombros começam a ser removidos. As pessoas estão saindo vivas”.

Membro do Parlamento de Mariupol, Dmytro Gurin, cujos pais estão presos na cidade, disse à BBC que o prédio [do teatro] estava destruído mas que também recebeu a informação de que o abrigo antiaéreo resistiu e as pessoas que lá estavam sobreviveram.

— Ainda não sabemos se há feridos ou mortos. Mas parece que a maioria sobreviveu e está bem — celebrou.


 

Leia Também

Agressor de procuradora-geral não alegou arrependimento, diz delegada

Leia Mais

Idosa e diarista são encontradas degoladas em imóvel de luxo

Leia Mais

Fluminense vence o Atlético-MG no Maracanã em noite de oito gols

Leia Mais