Rio: Médico tentou reanimar paciente que fez hidrolipo por 30 minutos

As câmeras de segurança do Carioca Offices, prédio anexo ao Carioca Shopping, na Zona Norte do Rio, mostram o médico Brad Alberto Castrillion saindo da clínica com Maria Jandimar Rodrigues, 39, convulsionando em uma cadeira de rodas. Ela tinha ido ao local para fazer uma hidrolipo, mas morreu logo em seguida, após iniciar as preliminares da segunda sessão do procedimento estético.


Nas imagens, é possível ver a paciente chegando ao local por volta de 11h do dia 17 de dezembro. Pouco mais de duas horas depois, às 13h23, as imagens mostram Maria Jandimar sendo carregada em uma cadeira de rodas, amparada pelo médico e o instrumentador da clínica, Zander Mendonça. Uma paciente que aguardava atendimento na clínica também ajudou no socorro.


Eles entram no elevador com Maria Jandimar coberta por um lençol. O médico segura a cabeça dela e neste momento é possível perceber que a paciente estava se tremendo. Ao chegarem na saída de emergência do Carioca Offices, Zander entrega ao médico uma injeção, que em seguida é aplicada na mulher. Em depoimento, o médico colombiano disse ter aplicado uma ampola de adrenalina para mantê-la viva até o hospital.


Também em depoimento, Brad contou que após perceber que a paciente estava sem pulso, fez a manobra de reanimação, como mostram as imagens, por pelo menos 30 minutos. De acordo com o delegado titular da 27ª DP (Vicente de Carvalho), Renato Carvalho, as imagens ajudam a esclarecer que não houve omissão de socorro. Mas em relação a uma possível negligência ou descuido de algum procedimento médico de rotina, só poderá ser analisado junto ao laudo complementar, que ainda não está disponível.


Thalita Queiroz | O DIA