Relatório do IML aponta execução

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Sergipe apontou que foi asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda as causas da morte de Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, o homem imobilizado por policiais rodoviários federais e colocado dentro do porta-malas de uma viatura, onde inalou gás, nesta quarta, em Umbaúba (SE). O resultado da análise foi confirmado pela Secretaria de Segurança Pública na manhã desta quinta-feira (26).

Ainda segundo a SSP, outros exames foram realizados para detalhar a razão da morte. O corpo foi liberado do IML, em Aracaju, por volta das 22h30. O velório ocorre na casa da mãe do homem, no povoado Mangabeira, em Santa Luzia do Itanhy. Ele era casado e deixa um filho.

Segundo a família, a vítima tinha esquizofrenia e tomava remédios controlados há cerca de 20 anos.

g1 tenta contato com a assessoria de comunicação da Polícia Rodoviária Federal para falar sobre o laudo. O órgão abriu um procedimento disciplinar para averiguar a conduta dos policiais envolvidos. A Polícia Federal também vai investigar o caso.

A Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe está acompanhando os desdobramentos e disse, em nota que, “tem respeito pelas instituições, mas não compactua com qualquer tipo de violência ou de tortura”.

ENTENDA O CASO
VÍDEO: Policiais Rodoviários Federais são suspeitos de executar um homem em Sergipe

Edição: Léo Vilhena

Leia Também

Agressor de procuradora-geral não alegou arrependimento, diz delegada

Leia Mais

Idosa e diarista são encontradas degoladas em imóvel de luxo

Leia Mais

Fluminense vence o Atlético-MG no Maracanã em noite de oito gols

Leia Mais