Presidiários se passavam por jovens atraentes para pedir nudes e dar golpes

Presos da Penitenciária de Jacuí (PEJ), em Charqueadas (RS), foram alvos de uma megaoperação da Polícia Civil do Distrito Federal, em parceria com a Polícia Civil do Rio Grande do Sul. Os agentes e delegados investigam uma associação criminosa especializada na prática de extorsões sexuais. O esquema criminoso contava, ainda, com a participação de familiares dos detentos.

De acordo com as investigações da Operação Nudes, conduzida pelos investigadores da 23ª DP (P Sul), os internos da penitenciária, se passando por jovens atraentes, se infiltravam nas redes sociais e em sites de relacionamento para identificar mulheres interessadas em homens mais velhos. Após captar a vítima, os criminosos entravam em contato pelo aplicativo de mensagem e pediam o envio de conteúdos de cunho sexual.


LEIA TAMBÉM
‘Barbie do Tráfico’ é presa com mais de 50 frascos de lança-perfume


Depois do envio das fotos, os presidiários entravam novamente em contato com a vítima. Mas, dessa vez, se passavam por policiais civis do Rio Grande do Sul, em que alegavam que os familiares da vítima haviam registrado ocorrência contra a mesma. A vítima, então, passava a ser extorquida pelos falsos polícias, a fim de extinguir a “investigação”.

No total, foram cumpridos mandados de busca e apreensão contra 13 investigados. Dez deles são presos do PEJ.

Darcianne Diogo


 

Leia Também

Madrasta ‘ficou rindo’ ao servir mais feijão envenenado ao enteado

Leia Mais

Ex-namorado de jovem morta a tiros é apreendido e confessa o crime

Leia Mais

Madrasta suspeita de envenenar enteados com chumbinho é presa

Leia Mais