Piloto pediu para voltar a aeroporto antes de acidente na Itália

O piloto do avião turboélice que caiu nos arredores de Milão no último domingo (3) chegou a pedir para voltar ao Aeroporto de Linate, de onde havia partido alguns minutos antes.

A tragédia deixou oito pessoas mortas, todas elas ocupantes da aeronave. Fontes qualificadas informaram à ANSA que a sala de radar percebeu logo após a decolagem que o Pilatus PC-12 estava virando para a direita de forma anômala, ao invés de voar na direção sul.

Em seguida, o piloto e proprietário do avião, Dan Petrescu, um dos homens mais ricos da Romênia, falou para o controlador que havia um “pequeno desvio”, mas sem especificar o motivo. Pouco depois, ele pediu um “vetor”, ou seja, uma rota para voltar ao aeroporto.

No entanto, menos de um minuto depois, o avião começou a cair e sumiu dos radares. A aeronave se chocou contra um prédio de dois andares em San Donato Milanese, cidade-satélite de Milão, a apenas sete quilômetros de Linate.

Como o edifício, que abrigava uma empresa de ônibus, estava em reforma, ninguém em solo ficou ferido. A caixa-preta já foi recuperada e será submetida a análises no âmbito do inquérito do Ministério Público de Milão que apura as causas do acidente.

Magnata do setor imobiliário, Petrescu tinha 68 anos e um patrimônio estimado em 3 bilhões de euros. Sua esposa, a franco-romena Regina Dorotea Petrescu Balzat, 65, seu filho, Dan Stefan Petrescu, de 30, e o companheiro deste último, o canadense Julien Brossard, 36, também estão entre as vítimas.

Os outros quatro mortos são o italiano Filippo Nascimbene, 33; seu filho, o também italiano Raphael, de pouco menos de dois anos de idade; sua esposa, a francesa Claire Stephanie Caroline Alexandrescou, 34; e sua sogra, a franco-romena Miruna Anca Wanda Lozinschi, 65.

O grupo viajava para Olbia, cidade da Sardenha onde a família Petrescu tinha uma mansão. (ANSA)

TODOS LOS DERECHOS RESERVADOS. © COPYRIGHT ANSA