Paulo Guedes admite que auxílio emergencial pode ser prorrogado

O ministro da Economia, Paulo Guedes, admitiu, nesta quinta-feira, 27, que não está descartada a possibilidade de uma nova renovação do auxílio emergencial. Para garantir a retomada de vez da economia brasileira, Guedes voltou a defender a necessidade da vacinação em massa para evitar que os efeitos negativos da pandemia de Covid-19 continuem pressionando o setor produtivo brasileiro.

“O auxílio emergencial é uma arma que nós temos e que pode sim ser renovado. Se ao contrário do que nós esperamos, se a doença continuar fustigando, as mortes continuam elevadas, a vacina por alguma razão não está chegando, vamos ter que renovar. Não é nossa expectativa hoje”, disse.

Durante encontro com empresários, Paulo Guedes defendeu a necessidade da reindustrialização do país e da aprovação da reforma tributária. Segundo ele, o agronegócio brilha no exterior porque não existe um imposto sobre produtos agrícolas.

O ministro criticou o Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), mas admitiu que ainda não pode abrir mão da receita. E ressaltou que a meta é permitir a abertura comercial sem que isso, na prática, sufoque a indústria nacional. “Nós somos liberais, mas não somos trouxas.

Então todo o ritmo de abertura brasileira tem que respeitar esse patrimônio que é o nosso parque industrial. Nós não vamos derrubar a indústria brasileira em nome da abertura comercial.”

Jovem Pan, Rede GNI