Ministro do STF ofende as Forças Armadas que reagem duramente

De uma forma irresponsável o ministro Luís Roberto Barroso do STF atacou as Forças Armadas durante a sua participação em um seminário promovido por uma universidade alemã.

O ministro afirmou:

“Existe uma tentativa de levar as Forças Armadas ao ‘varejo da política’. Para ele, é importante que os comandantes militares evitem esse tipo de contaminação. Um desfile de tanques é um episódio com intenção intimidatória. Ataques totalmente infundados e fraudulentos ao processo eleitoral. Desde 1996 não tem nenhum episódio de fraude. Eleições totalmente limpas, seguras. E agora se vai pretender usar as Forças Armadas para atacar. Gentilmente convidadas para participar do processo, estão sendo orientadas para atacar o processo e tentar desacreditá-lo” afirmou.

Após a divulgação do posicionamento do ministro as Forças Armadas reagiram duramente através de uma nota oficial assinada pelo ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira.

Disse o general:

“Afirmar que as Forças Armadas foram orientadas a atacar o sistema eleitoral, ainda mais sem a apresentação de qualquer prova ou evidência de quem orientou ou como isso aconteceu, é irresponsável e constitui-se em ofensa grave a essas Instituições Nacionais Permanentes do Estado Brasileiro. Além disso, afeta a ética, a harmonia e o respeito entre as instituições”, assinalou o general.

Em nota o general ainda enfatizou que:

“Repudia qualquer ilação ou insinuação, sem provas, de que as Forças Armadas teriam recebido suposta orientação para efetuar ações contrárias aos princípios da democracia”.

A reação do general teve o apoio dos comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.

Léo Vilhena | Jornalista
Editor-Chefe da Rede GNI


 

Leia Também

Operação policial no Rio de Janeiro termina com 11 mortos

Leia Mais

Vladimir Putin sofreu atentado frustrado, afirmam autoridades da Ucrânia

Leia Mais

João Doria anuncia desistência da pré-candidatura à Presidência

Leia Mais