Menino de 8 anos sofre acidente grave no Rio de Janeiro

O que seria um fim de tarde agradável na Praça Cacilda Becker, na Urca, após a escola, acabou se transformando em tormento e trauma para crianças e seus pais. Um menino de 8 anos, que empurrava colegas num brinquedo pesado, de ferro, conhecido como vai e vem, escorregou. E foi “atropelado” pelo equipamento, tendo fratura exposta na perna esquerda. O acidente aconteceu no último dia 5. Até ser operado, foram cerca de 18 horas, de acordo com a família. Sem falar que o garoto teve uma infecção bacteriana e precisou voltar a ser hospitalizado no dia 18. Serão pelo menos mais três semanas de internação.

No local, uma placa informa apenas se tratar de um brinquedo para menores de 10 anos. Não alerta que ele é adaptado para cadeirantes e sobre os cuidados a tomar. A família da vítima contratou um escritório de advocacia, que entrará com pelo menos duas ações na Justiça: uma contra a prefeitura, alegando falta de segurança e de informação sobre o equipamento; e outra contra a Unimed, pela demora em transferir o menino do Hospital municipal Miguel Couto, para onde foi levado, até uma unidade particular. O vai e vem foi retirado da praça na sexta-feira pelo fabricante (empresa Aço Forte), antes da realização da perícia.

— O meu filho poderia ter perdido o pé, que ficou pendurado. Vai ser uma recuperação lenta, sofrida, dolorosa, mas, graças a Deus, vai dar certo — diz o pai, professor de sociologia e que pede para não ser identificado. — Foram 18 horas entre o acidente e a cirurgia. A demora torna mais alto o risco de infecção.

Selma Schmidt, O GLOBO