Médico é levado a delegacia por negar-se atender criança com paralisia cerebral e covid

Uma família de Piraju (SP) registrou um boletim de ocorrência contra um médico que teria se negado a atender uma criança, de 2 anos, com paralisia cerebral e diagnosticada com Covid-19.

O caso aconteceu na segunda-feira (10), após Maria Sophia Alves apresentar sintomas gripais e procurar atendimento na Unidade de Saúde da Família (USF) do bairro São Pedro.

A mãe da criança, Vanessa Alves, contou ao g1 que percebeu que a filha estava doente e que a levou ao Pronto Socorro de Piraju, no domingo (9). Como a unidade não realizava testes, no dia seguinte, a menina foi encaminha à USF.

“Sophia fez o teste de manhã e, apesar da rapidez de sair o resultado, o doutor abordou meu marido no corredor e pediu um raio-x dela. Nem chegou a examiná-la. A partir daí, já comecei a achar estranho o comportamento, mas seguimos a orientação”, contou a mãe de Sophia.

Segundo Vanessa, após realizar o procedimento, a família voltou à USF. No entanto, apesar de seguir as orientações, o médico se recusou a atender Sophia.

“Esse doutor saiu da sala e disse que não ia atender Sophia, mesmo com ela “ardendo” em febre e bastante abatida. Quando eu questionei, ele disse que estava atendendo outras pessoas e gestantes. Eu me senti impotente ao ver minha filha daquela forma e não poder fazer nada”, desabafou Vanessa.

Durante o desentendimento, a Polícia Militar foi acionada e tentou convencer o médico a realizar a consulta, mas não teve sucesso.

Diante da situação, o médico foi conduzido à delegacia, onde foi registrado um boletim de ocorrência por omissão de socorro. Após ser ouvido, ele foi liberado.

Ao g1, Vanessa contou que a filha conseguiu um encaminhamento ao hospital municipal, onde foi atendida e medicada. Seguindo ela, Sophia passa bem. Questionada, a Prefeitura de Piraju não havia se manifestado até a última atualização desta reportagem.

G1

error: CONTEÚDO PROTEGIDO