Jovem de 16 anos denuncia pastor e cunhado por estupro em SP

Uma jovem de 16 anos pediu socorro à irmã, após alegar ter sido estuprada pelo cunhado e o pastor da igreja que frequenta durante cinco anos. A situação só foi revelada no último dia 10 de maio porque, segundo ela, “não aguentava mais”. O caso foi registrado na Delegacia da Mulher de Santos, no litoral de São Paulo.

A irmã Daniela Carriel, de 46 anos, que mora em Santos, conta que ao escutar os áudios da jovem suspeitou que algo estava errado. Ela acionou a polícia para ir até a casa da menor, em Sorocaba, no interior de São Paulo.

Assim que a adolescente viu a viatura da Polícia Militar começou a chorar. Questionada sobre o que estava acontecendo, a suposta vítima contou aos policiais e ao Conselho Tutelar que estava sofrendo abuso sexual do marido da irmã, por parte de mãe, e do pastor da igreja que frequenta.

A menor de idade contou para Daniela [irmã por parte de pai] que os abusos começaram quando ela tinha 11 anos. De acordo com a adolescente, o primeiro a estuprá-la foi o pastor, dentro da igreja. Os atos, segundo a jovem, ocorreram até o feriado de Páscoa deste ano.

“O pastor ligava para mãe dela para combinar [o estupro] na casa dela, igreja, no carro, a maioria das vezes na própria igreja. A mãe e a irmã sabiam. O pastor ajudava dando cestas, mistura, leite e dinheiro”, revela Daniela, que, com base nas informações fornecidas pela jovem, aponta que o pastor tirou a virgindade da menor. “Ela contou para a mãe, que nada fez”.

A esposa do pastor, em áudio obtido pelo g1, afirmou a Daniela que a menor era “assanhadinha”. “Ela está à frente de uma igreja, são falsos profetas, estão pregando a palavra para ele abusar de crianças indefesas”, desabafa a irmã da suposta vítima.

Em agosto do ano passado, a jovem foi flagrada chorando na escola e contou que estava sendo abusada pelo pastor. O colégio denunciou o caso ao Conselho Tutelar de Sorocaba, mas Daniela conta que nada foi feito e adolescente teria sido estuprada por mais nove meses.

O medo da irmã da jovem é que o pastor fuja do país, já que tem condições para isso.

Gyovanna Soares, g1 Santos


Leia Também

Agressor de procuradora-geral não alegou arrependimento, diz delegada

Leia Mais

Idosa e diarista são encontradas degoladas em imóvel de luxo

Leia Mais

Rottweiler salta de carro em movimento e ataca mulher

Leia Mais