Vontade da família foi decisiva para recusa de Renato ao Corinthians

Maristela é um nome conhecido da vida de Renato desde a adolescência. Desde que chegou ao profissional do Grêmio, era conhecida sua relação com a namorada dos primeiros anos de vida. Podia ter namoros com outras mulheres, filha com apresentadora de televisão e ela sempre esteve de braços abertos para recebê-lo. A relação é tão especial que Renato costuma passar seus dias, no Rio, em Ipanema. A esposa vive na Barra da Tijuca.

Quase sempre.

No retorno de Porto Alegre, depois de contrair covid e passar maus bocados, com uma forte pneumonia, Renato se alojou perto da mulher, na Barra. A proximidade com ela e seu desejo de que o marido não trabalhasse longe de casa, neste momento, foram fatores decisivos para que Renato desistisse de trabalhar no Parque São Jorge.

No mesmo dia em que este blog adiantou que este poderia ser um dificultador, a filha, Carol, postou no instagram elogios à Fiel Torcida. Para muita gente, parecia que a informação da família estava equivocada. Se Carol não era a voz mais contrária à ida a São Paulo, também o salário 40% mais baixo e o projeto do Corinthians deixaram dúvidas.

O fator central, explicado por Renato, é pessoal e familiar. Claro que seguem as dúvidas sobre o que o Corinthians pode fazer na temporada. Até que ponto o casamento seria de vitórias e até que ponto Renato teria de proteger os dirigentes.

Duílio Monteiro Alves e Roberto de Andrade terão de procurar novas soluções. Elas não são simples. O plano A era Renato Gaúcho e esta seria a solução mais perfeita para este momento.

Texto e Informações do Jornalista PVC