Escorpiões-amarelos aparecem em pátio de creche

Ao menos 23 escorpiões foram encontrados pela prefeitura de Ituporanga, no Vale do Itajaí, na última semana. As buscas começaram após a professora de um centro infantil encontrar um animal no pátio da creche. Segundo a prefeitura, pelo menos oito foram resgatados nas proximidades da escola.

Na terça-feira (30), uma força tarefa da administração municipal capturou outros 15 animais. Os escorpiões foram encaminhados para análise do Laboratório Central de Saúde Pública, em Florianópolis, para determinar a espécie e se são peçonhentos. Até o momento, não houve acidentes e a prefeitura alerta para cuidados.

“Foi feito também um relatório mapeando os locais que eles foram encontrados e o que é necessário para eliminar as possibilidades de proliferação e repassado para a direção da escola e também para a Secretaria da Educação”, explicou a secretária de saúde Aline de Abreu Postais.

Segundo a prefeitura, os animais começaram a ser vistos na região próxima do Centro Educacional Infantil Luciane Haveroth na última quarta-feira (24). A creche fica localizada na divisa com o Parque Ecológico Ingo Altenburg, na região central.

De acordo com a prefeitura, os escorpiões aparecem anualmente na localidade e principalmente na época do verão.

Desde então, uma busca ativa dos escorpiões ocorre no período noturno na região pela possibilidade de identificação dos locais onde estão presentes com auxílio de uma luz especial.

A suspeita é de que todos os animais capturados sejam escorpiões-amarelos, que é a principal espécie que causa acidentes graves, com registro de óbitos, principalmente em crianças.

Além da busca ativa, a creche realiza trabalhos de prevenção para evitar acidentes também e manter a segurança das crianças, informou a prefeitura.

Recomendações

  • Fechar ou tampar frestas em janelas e portas;
  • Colocar tela nos ralos da casa;
  • Controlar a presença de baratas e outros insetos (animais que servem como alimento para os escorpiões);
  • Manter o terreno limpo e evitar o acúmulo de lixo;
  • Evitar entrar em contato com o animal;
  • Acionar a secretaria municipal responsável para fazer a captura do escorpião.
  • Em caso do picada, é recomendável que a pessoa faça a captura do animal e leve junto consigo até uma unidade de saúde. Assim a equipe de saúde poderá identificar a espécie do animal e avaliar o tipo de tratamento que será realizado.
  • Deve-se lavar o local da picada com água e sabão e, em seguida, a pessoa deve ser levada ao hospital.

Carolina Fernandes e Talita Catie, g1 SC e NSC