Emboscada que terminou com morte de miliciano teve mais de 100 disparos

A emboscada que terminou com a morte do miliciano Vladimir Melgaço Montenegro, o Bibi, e da jovem Marianna Jaime Costa, na manhã deste sábado, teve mais de 100 tiros disparados. Pelo menos cinco carros participaram do ataque, na saída de um baile funk em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Bibi saía do local num veículo junto com a jovem quando seu bando foi surpreendido por disparos feitos por cerca de 20 homens. A polícia já sabe que o episódio faz parte da guerra entre paramilitares pelo controle da maior milícia do Rio, rachada desde a morte de Wellington da Silva Braga, o Ecko, em junho do ano passado.

Segundo a polícia, o ataque foi realizado por comparsas de Danilo Dias Lima, o Tandera, que disputa o controle da quadrilha com Luis Antônio da Silva Braga, o Zinho, irmão de Ecko. Bibi, o alvo da emboscada, saiu da cadeia no ano passado, após quatro anos preso, e se aliou a Zinho. Bibi e Tandera eram amigos de infância, mas viraram desafetos após o racha interno do grupo. Bibi estava foragido, com um mandado de prisão em aberto por homicídio.

Rafael Soares


 

Leia Também

Operação policial no Rio de Janeiro termina com 11 mortos

Leia Mais

Jovem é tatuada à força com nome de ex-namorado no rosto

Leia Mais

Mulher é esfaqueada e escapa de feminicídio com a ajuda da babá e filhos

Leia Mais