Dezenas de raias e tubarões aparecem mortos em área de mata no litoral de SP

Dezenas de raias surgiram mortas, de forma misteriosa, em frente a uma aldeia indígena em Peruíbe, no litoral de São Paulo, na última quinta-feira (23). Segundo apurado pelo g1 nesta sexta-feira (24), os animais foram encontrados por membros da Aldeia Tapirema, que contataram autoridades para remove-los do local.

O cacique da aldeia, Awa Tenondegua, disse em entrevista ao g1 que os índios acordaram sentindo um “cheiro forte”. Ele explicou que é costume enviar um guerreiro para dar uma olhada na praia pela manhã. Assim, quando o membro da aldeia foi ao local, se deparou com as raias mortas. “Muito triste“, desabafa.

A Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura de Peruíbe foi contatada pelo cacique por volta das 11h30, e o secretário da pasta, Eduardo Ribas, foi averiguar a situação. Ao g1, ele contou que mais de 50 raias e três filhotes de tubarão martelo estavam no local já mortos.

Ribas diz que ainda não se sabe o motivo de os animais terem surgido no local, mas acrescenta que é improvável que eles tenham encalhado naturalmente, pois é uma área de vegetação, e há certa distância até a orla. A Prefeitura de Peruíbe pontua que o Instituto Biopesca foi o responsável pelo resgate e averiguação do caso, e a Polícia Ambiental pela responsabilização de crimes ambientais.

Segundo o coordenador geral do Instituto Biopesca, Rodrigo Valle, os animais provavelmente foram capturados por redes de pesca de arrasto, que geralmente têm como alvo o camarão. O especialista diz que a prática é autorizada quando executada como técnica artesanal. No caso das raias, ele pontua que elas podem ser comercializadas e, por isso, o ferrão teria sido cortado.

 Nicole Leslie, g1 Santos