Corte Interamericana de Direitos Humanos manda soltar Jornalista Oswaldo Eustáquio

O jornalista Oswaldo Eustáquio explica por que denunciou o ministro à Corte Interamericana de Direitos Humanos.

No início da tarde desta quinta-feira, 1º, o  jornalista Oswaldo Eustáquio pediu à Corte Interamericana de Direitos Humanos, em caráter liminar, a revogação de sua prisão. Além disso, denunciou o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), por abuso de autoridade e cárcere privado.

Poucas horas depois, o ministro do STF Alexandre de Moraes arquivou o inquérito para investigar os “atos antidemocráticos” e revogou as medidas cautelares contra Eustáquio. “Entrei às 13h com a medida cautelar e na sequência o Alexandre se pronunciou”, contou o jornalista a Oeste.

“Quem vai ressarcir esse um ano de prisão que fiquei sem trabalhar?”

Questionado se pretende dar seguimento à ação, ele foi enfático: “Essa ação foi um recado para dizer que não temos medo do Alexandre de Moraes. Nem do STF.” E prosseguiu: “E isso só comprovou que fiquei um ano e cinco dias preso sem cometer nenhum tipo de crime. O próprio órgão acusador me absolveu. Quem vai ressarcir esse um ano de prisão que fiquei sem trabalhar?”

Eutásquio disse ainda que está em casa, em Brasília, e usando tornozeleira eletrônica.  “A defesa já peticionou para a retirada da tornozeleira. Se eu tirar e o Daniel [o deputado Daniel Silveira] ainda estiver preso, eu vou para o Rio de Janeiro, e vou ficar lá até ele ser solto.”

Paula Leal | Revista Oeste


Edição: Ricardo Bueno | Rede GNI