Chacina no Rio: Homem abre fogo, mata 3, fere 3 e atira em viatura da PM

A noite de segunda-feira (12) foi de terror em Vigário Geral. Um homem abriu fogo em um bar após uma discussão e matou pelo menos três pessoas, deixando outras duas feridas, além do próprio atirador. Os assassinatos ocorreram na Rua Mauro.


O crime aconteceu por volta das 22h, em um bar movimentado da região. O homem, que seria conhecido na comunidade como Fábio Bomba, teria discutido com pessoas que estavam no local, e atirado contra elas com uma pistola. Um jovem ainda foi atingido minutos depois, enquanto falava com policiais militares do 16º BPM (Olaria) que foram ao local para verificar a ocorrência. A vítima estava
tentando acalmar a situação e ajudar os feridos quando o atirador também disparou contra ele.


 

Em áudios que circulam nas redes sociais, moradores relatam a noite de fúria: “quem olhava para ele, ele atirava”. Uma das testemunhas contou sobre a terceira vítima.


“O moleque saiu de dentro dos conjuntos, veio na direção para desenrolar. Quando o moleque chegou pertinho, ele deu três tiros no moleque. Ele saiu correndo, com a mão na barriga. Deu pena. Quem olhava para ele, ele atirava”.


O homem ainda trocou tiros com os policiais militares que foram ao local. Uma viatura chegou a ser atingida, mas nenhum PM ficou ferido. O atirador foi baleado e levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, onde está sob custódia. Outros dois feridos também estão na unidade.


Em nota, a Polícia Militar informou que “equipes do 16° BPM (Olaria) foram acionadas para checar uma ação envolvendo disparos de arma de fogo na Rua Mauro, no Bairro de Vigário Geral, Zona Norte da Cidade do Rio. Chegando ao local, os policiais foram atacados a tiros e houve confronto. Após estabilizarem a área, os militares prenderam o autor do ataque, que vitimou fatalmente três pessoas e deixou outras duas feridas, a apreenderam com ele uma pistola. A viatura também foi atingida pelos disparos, porém os policiais nada sofreram. A área foi isolada e o Corpo de Bombeiros e a Delegacia de Homicídios da Capital foram acionados”.

Yuri Eyras | O Dia


Edição: Ricardo Bueno | Rede GNI