Caso de caseiro foragido é comparado com Lázaro Barbosa e causa temor

A busca por Wanderson Protácio, que entrou no quinto dia consecutivo, nesta sexta-feira, 3, está dando o que falar nos municípios da região. Isso porque, após cometer uma série de crimes e fugir de uma força-tarefa, o caso do caseiro acusado de cometer três assassinatos está sendo comparado ao de Lázaro Barbosa, que também praticou uma série de crimes no entorno do Distrito Federal, em junho deste ano, e terminou sendo morto pela polícia.


No entanto, essa semelhança pode não ser mera coincidência. Segundo o site Metrópoles, um colega do suspeito que não foi identificado teria confirmado que Wanderson admirava Lázaro: “Disse que era seguidor do Lázaro. Eu achei estranho, mas ele considerava o maníaco um herói, e que tinha dado trabalho para a polícia de Goiás”, contou. Porém, diferentemente do criminoso capturado, o jovem não teria conhecimento para sobreviver nas matas.


No município de Gameleira de Goiás, o temor fez a Escola Municipal Fleury Adrião de Siqueira, única do distrito de Mocambinho, suspender as aulas nesta quinta-feira, 2. A decisão teria sido tomada por conta das buscas que estão sendo feitas no local, após uma denúncia de que o caseiro teria sido visto circulando em uma região próxima ao povoado, além de um motoqueiro ter dado carona para um homem desconhecido que poderia ser Wanderson.


Ainda segundo o Metrópoles, o clima seria de medo na região onde fica a escola, que tem cerca de 250 alunos, já que a maioria dos estudantes são da zona rural, onde o suspeito teria sido observado. Veículos da Polícia Militar, tanto caracterizados quando não identificados, circulam pelo local desde quinta, quando a secretaria municipal de educação liberou os alunos mais cedo.


Segundo as investigações, os crimes cometidos pelo rapaz no último domingo, 28, não teriam sido os primeiros. Vizinhos da casa onde Wanderson morava com a família, em Goianápolis, relataram que em 2019 ele teria esfaqueado a irmã da madrasta até a morte e só teria parado depois da faca quebrar. Atualmente, a casa está trancada.


Os proprietários do imóvel afirmaram ter medo do jovem voltar: “Não tínhamos muito contato. Era apenas para receber o aluguel e tratar sobre o contrato. Eles pagavam direitinho. Pouco víamos o Wanderson. Falávamos mais com o pai dele e a madrasta. Muito trabalhadores. Depois dos acontecimentos, foram embora e não tivemos mais notícias. Temos medo que o Wanderson possa aparecer por aqui também”.


Outra moradora da região contou que só soube que Wanderson já teria morado ali após o início das buscas. “Foi quando outras pessoas comentaram que era o rapaz que morou aqui na rua, em 2019. Pouco o víamos. Não tínhamos contato. Ele era quieto. Jovem e não conversava”, disse.


ODIA

error: CONTEÚDO PROTEGIDO