Rebanhão, a banda mais relevante do cenário cristão

Por mais que os fãs de outras bandas ou grupos discordem, a realidade pétrea é que a Banda Rebanhão é a verdadeira precursora do Rock Cristão no cenário brasileiro.

Nenhuma outra banda foi mais relevante do que o Rebanhão e nenhuma outra sacudiu tão vibrantemente as estruturas da música cristã no Brasil.

Rebanhão é a banda mais relevante da história
da música evangélica brasileira,
em todos os tempos.
Léo Vilhena

A famosa banda, que ‘meteu o pé na porta que separava o cenário cristão da música secular’, destruiu a barreira que separava o cristianismo do cenário secular. Um pequeno e relevante exemplo? Foi a primeira banda cristã a tocar no ‘templo’ da música popular brasileira: CANECÃO.

A Banda Rebanhão é conhecida e reconhecida, respeitada e venerada, por cristãos e não cristãos, por pastores e padres, por evangélicos e católicos, ateus e fiéis de outras religiões…

Ela é uma banda atemporal e de uma relevância gigantesca, mas eu acredito na realidade, que nem mesmo o Pedro Braconnot, Carlinhos Félix, Paulinho Marotta (Janires já voltou para casa), tem a exata compreensão e dimensão de seus feitos gigantescos e de suas importâncias e relevâncias para o cenário evangélico. O mundo conhece o Rebanhão.

Eles não conseguem ter a noção exata do que representam para a história da música brasileira. Influenciaram gerações inteiras e muitos que se converteram ao som das canções do Rebanhão, muitos, hoje são pastores, missionários, cristãos…

Acredito nisso, por que a dimensão que a banda tomou é maior que as suas ‘limitadas fronteiras’ (imaginações), ou seja, quero afirmar que a sua relevância é maior do que o próprio Brasil, ela tornou-se uma banda de fama internacional, pois rompeu todas as fronteiras e barreiras. E eles não conseguem perceber essa dimensão.

Posso afirmar isso com serenidade, por que eu morei em Berlim, na Alemanha, e quando ministrava no Centro de Missões de Berlim (recheado de brasileiros, argentinos e bolivianos, poucos alemães), certa noite eu imaginei que eu iria tocar uma canção ‘inédita’, e quando comecei a cantar, o ‘coral’ esmagou a minha voz:

“A Paz do Senhor, é o que nós queremos,
Eu quero para mim e pra voçê…”

No final eu dei uma risada amarela, sem graça (eu achei que seria um ‘impacto’ a música ‘inédita’), mas TODOS conheciam… Então, eu resolvi emendar com outra ‘inédita’ e a ‘emenda foi pior que o soneto’, por que se cantaram em tom alto A PAZ DO SENHOR, o volume e a empolgação cresceu absurdamente:

De que lado você está?…”

Sabe como isso começou? Foi em 1981 que uma banda deu início à sua trajetória. Começaram como uma banda e eles não sabiam que tornariam-se em Lendas…

Rede GNI


O Rebanhão gravou seu primeiro disco de vinil em 1981. A Banda foi batizada por Janires M. Manso, seu fundador. Janires iniciou os trabalhos em São Paulo, em 1979, gravando uma legendária fita k7 com músicas inéditas e revolucionárias. Na época Jesiel, Jerubal, irmãos da Jerusa Liasch, Carrá faziam parte da formação. A igreja do Tio Cássio e Tia Arlete foram o embrião do Rebanhão. Depois, em 1981, Janires se mudou para o Rio de Janeiro e começou a ensaiar na Igreja Presbiteriana de Copacabana, onde iniciou a formação do LP Mais Doce que O Mel.

O Rebanhão marcou época na música cristã do Brasil assumindo uma atitude moderna e inovadora, rompendo com as “quatro paredes” das igrejas, a banda conseguiu atingir audiências ecléticas e divulgar de forma marcante a música cristã. Se apresentando em locais até então pouco convencionais para grupos de origem evangélica, como praças públicas, escolas, presídios e praias, o Rebanhão foi a primeira banda evangélica a lotar palcos profissionais como o famoso Canecão, no Rio de Janeiro. Foi também a primeira banda gospel a assinar contrato com gravadoras multinacionais como a Polygram e a Warner. Com um repertório diverso, marcado por ritmos jovens e linguagem contemporânea, a banda quebrou paradigmas e contribuiu para a formação de uma nova identidade na música evangélica brasileira.

Mais Doce que o Mel LPA trajetória do Rebanhão é apontada como o marco inicial do movimento que deu origem à chamada música gospel brasileira. A banda é pioneira no rock cristão brasileiro: “o estilo ‘Rebanhão’ de ‘cantar para Deus’ fez história não só pelo sucesso e adesão dos jovens, o que já havia acontecido nos anos 70 com conjuntos musicais. Ele foi marcado pelo rompimento radical com o estilo tradicional musical evangélico. Radical aqui significa a adoção de ingredientes então considerados profanos para a musicalidade religiosa evangélica: linguagem, postura cênica, visual dos músicos, apresentação no estilo espetáculo (Rebanhão foi o primeiro grupo evangélico a se apresentar em casas de show, como o Canecão, no Rio de Janeiro)”, afirma a pesquisadora Magali do Nascimento Cunha. O destaque do Rebanhão no cenário da música cristã brasileira pode ser constatado também pela inserção do verbete “Rebanhão” no Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, uma das principais obras de referência para os estudiosos da música no país.

Durante as décadas de 80 e 90, o Rebanhão se apresentou em todo o país, proporcionando uma experiência transformadora para milhares de cristãos que buscavam um novo caminho de vivência da fé. Embora tenha tido diferentes formações, a banda viveu um dos períodos mais produtivos e de maior reconhecimento público com a formação clássica, tendo à frente os músicos Carlinhos Félix, Pedro Braconnot e Paulo Marotta. Ao longo do tempo, cada um dos integrantes assumiu projetos pessoais que os afastaram da banda, e o Rebanhão encerrou as atividades no ano 2000, depois de ter se apresentado com diferentes formações.

O projeto “Rebanhão 35 Anos” é um revival histórico. O grupo foi responsável por uma verdadeira revolução musical na Igreja evangélica brasileira, levando a mensagem cristã para os ouvintes das novas gerações que se encontravam cada vez mais distantes dos púlpitos das igrejas. Lutando por esta causa, eles enfrentaram muitas críticas e a resistência de líderes que não aceitaram o novo estilo musical. Esta gravação dos 35 anos veio para marcar novamente outras gerações. É inevitável concluir que, sem a ousadia do Rebanhão, a música evangélica brasileira não teria alcançado o patamar que tem hoje.


Com informações do Site REBANHÃO
Texto de Léo Vilhena | Jornalista

3 thoughts on “Rebanhão, a banda mais relevante do cenário cristão

Fechado para comentários.