Após discurso inflamado, Witzel se nega a responder governistas e vai embora da CPI

Foi um espetáculo teatral bem ensaiado. O ex-governador do Rio de Janeiro, que sofreu um processo de Impeachment por 10 votos a zero, Wilson Witzel, recebeu tratamento especial dos senadores da CPI da Covid.

Ele tinha 15 minutos regimentais para fazer uma abertura de seu depoimento, e sem ser incomodado, ele usou 32 minutos para um discurso inflamado, atacando as instituições federais, exaltando a sua ‘inocência’ e tentando incriminar o presidente Jair Messias Bolsonaro, atrelando a ele as 490 mil mortes pela Covid.

Surpreendentemente, o ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel pediu para se retirar, e a sessão da CPI da Covid foi encerrada no início da tarde desta sexta-feira (16).

Uma decisão do ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), garantiu a Witzel a possibilidade de não comparecer ao depoimento. Caso comparecesse, ele poderia ficar em silêncio e não firmar compromisso de dizer a verdade. E poderia ir embora a hora que desejasse.

Quando Witzel pediu para sair da sessão, o depoimento dele já durava mais de quatro horas.

O pedido para ir embora foi no exato momento em que os senadores da base do governo começariam as suas perguntas ao ex-governador.

O ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel decidiu se retirar da CPI da Covid. A definição ocorreu durante questionamentos que estavam sendo feitos pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE). Witzel teve a prerrogativa de deixar a comissão pois estava amparado em uma decisão do ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal.

“Ele acabou de me comunicar que quer se retirar da sessão, e a gente não pode fazer absolutamente nada”, disse o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM).

Ao deixar a comissão, Witzel agradeceu aos senadores e disse que quer contribuir no futuro.

Agradeço a oportunidade, agradeço as perguntas, e tenho certeza que muito temos a contribuir futuramente”, disse o ex-governador.


Witzel indo embora da CPI

Ao fundo o Senador Jorginho Mello (PL-SC) gritou: “Não contribuiu em nada“. As hastags #WitzelCovarde e #WitzelVagabundo não chegaram a ficar entre os TTs do Twitter, mas foram amplamente compartilhadas na rede social.

Witzel foi afastado do mandato e depois sofreu impeachment no ano passado. Ele é réu em processo que apura corrupção e lavagem de dinheiro. O caso tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Léo Vilhena | Rede GNI
Foto: Print da TV Senado


Jornais sérios entenderam o artifício de Witzel

One thought on “Após discurso inflamado, Witzel se nega a responder governistas e vai embora da CPI

Fechado para comentários.