Amber Heard é condenada por difamar Johnny Depp; Ator é inocentado

Foi uma decisão complexa, mas vamos explicar em detalhes:

1 – Johnny Depp foi inocentado das acusações de agressões contra a sua ex-mulher Amber Heard, ela não apresentou as supostas provas contra Depp, que dizia ter;

2 – O júri não encontrou elementos ou provas contra Deep;

3 – Amber Heard foi condenada por difamação;

4 – Amber Heard foi condenada a pagar US$ 15 milhões de dólares a Depp — o equivalente a R$ 72 milhões;

5 – O advogado de Johnny Depp foi condenado a pagar 2 milhões de dólares por ter feito críticas públicas contra Amber Heard e o ator será obrigado a arcar com essas despesas por ter contratado o advogado;

6 – Johnny Depp foi inocentado de todas as acusações.

REDE GNI


Após meses de uma intensa batalha judicial, envolvendo acusações mútuas de difamação e violência doméstica, o julgamento de Johnny Depp contra Amber Heard finalmente teve um desfecho nessa quarta-feira (1/6). O júri chegou a conclusão de que Amber deu declarações falsas ao Washington Post, propositalmente, comprometendo a reputação de Depp, o que implica no crime de difamação.

A atriz foi condenada a pagar o total de US$ 15 milhões de dólares a Depp — o equivalente a R$ 72 milhões na cotação atual.

Já na ação aberta por Heard, o juri entendeu que ela conseguiu comprovar parcialmente argumentos difamatórios ligados ao advogado do Depp na época do divórcio, Adam Waldman. Por isso, o ator terá de pagar à atriz o equivalente a 2 milhões de dólares, em danos compensatórios.

Depp processou a atriz em US$50 milhões por difamação após Heard ter publicado um artigo no jornal The Washington Post, sem citar seu nome, alegando ter sido vítima de violência doméstica. Ela também processa o ex-marido em uma ação em que pede US$100 milhões pelo mesmo crime.

A disputa entre a modelo e o ator foi para o tribunal em 12 de abril. Durante as oitivas, Amber Heard ainda afirmou ter sido vítima de violência sexual.

A expectativa era de que os jurados chegassem a uma decisão nessa terça-feira (31/5), mas eles não conseguiram entrar em consenso sobre os pedidos multimilionários de ambas as partes e voltaram a se reunir nesta quarta.

Ranyelle Andrade | Metropoles


Edição Léo Vilhena | Rede GNI

Leia Também

Agressor de procuradora-geral não alegou arrependimento, diz delegada

Leia Mais

Idosa e diarista são encontradas degoladas em imóvel de luxo

Leia Mais

Fluminense vence o Atlético-MG no Maracanã em noite de oito gols

Leia Mais