Alec Baldwin se emociona ao falar da tragédia no set de ‘hurst’

Alec Baldwin falou pela primeira vez sobre o incidente no qual a diretora de fotografia do filme “Rust”, Halyna Hutchins, morreu no set de filmagem após ser atingida por um tiro.

Em entrevista à emissora americana ABC exibida nesta quinta-feira (2), o ator se emocionou e deu mais detalhes sobre sua versão do que aconteceu em 21 de outubro, além de reforçar que não puxou o gatilho da arma.

Em conversa com o apresentador do “Good morning America” George Stephanopoulos, Baldwin contou que estavam ensaiando o posicionamento em uma cena, na qual Hutchins dava instruções ao ator para poder pensar nos movimentos da câmera durante a gravação.

“Ela estava próxima à câmera, olhando para um monitor, me guiando sobre o ângulo no qual eu deveria segurar a arma”, disse o ator de 63 anos. “A arma não deveria ser disparada daquele ângulo. Estou segurando a arma onde me mandaram, que era bem abaixo do braço dela. Um ângulo que poderia nem ser filmado.”

Com isso, Baldwin afirmou que Hutchins pediu que ele engatilhasse a arma para uma cena. “Puxei o cão (do revólver) o máximo que eu podia sem engatilhar a arma”, disse ele. “Eu solto o cão e ‘bang’, a arma dispara.”

Segundo ele, todos os presentes ficaram chocados. “A arma deveria estar vazia. Me disseram que tinha recebido uma arma vazia. Ela cai, eu pensei: ‘ela desmaiou?'”

Baldwin disse também que só foi perceber o que tinha acontecido quase uma hora depois. Todos foram retirados do local enquanto os médicos cuidavam de Hutchins. A polícia chegou cerca de 15 ou 20 minutos depois e ela foi levada de helicóptero a um hospital.

Ele só descobriu que havia uma bala na arma e que a diretora de fotografia tinha morrido no final de seu depoimento à polícia. As fotos que mostravam o ator após o incidente foram tiradas momentos depois.

Na entrevista, ele também contou que não conseguiria esperar pelo fim dos processos legais e das investigações para apresentar seu lado da história.

“Acho que há uma investigação criminal. Isso pode levar um tempo. Há todos os tipos de processos civis, e sinto que há muitos equívocos”, afirmou o ator. “O departamento do xerife nem enviou ainda um relatório para o promotor. Sinto que não posso esperar que esse processo termine.”

AIN, G1, REDE GNI

error: CONTEÚDO PROTEGIDO