A dura rotina de um jornalista que tenta ser imparcial

Ninguém tem noção do que enfrentamos todos os dias para levar até você uma notícia enxuta, imparcial, sem emoções, sem ‘barrigas’, que fale a verdade e que conte a história como ela é.

Mas deixa eu te dar uma luz, fazendo uma analogia:

Se amizades são desfeitas, trocas de insultos imperam entre familiares e amigos por questões políticas, o que você acha que está acontecendo com jornalistas de direita ou que apenas falem a verdade dos fatos?

Vocês tem noção do que está acontecendo?

De ‘cancelamentos’ à xingamentos, ameaças de morte via sms, whatsapp e e-mail à ligações do meio da madrugada citando o nosso endereço.

São tempos difíceis.

Trabalhamos para levar até você uma notícia isenta, imparcial, alijada de emoções e contamos a história como ela é.

Por isso o nosso lema é:

A VERDADE DOS FATOS É A NOSSA NOTÍCIA!

Se o presidente Bolsonaro tomar uma atitude correta, iremos aplaudir, mas se ele tomar uma atitude incorreta, iremos através de editoriais, condenar, recriminar e ‘pegar no pé’ veementemente.

Essa é a essência de uma imprensa imparcial, honesta e séria. e aqui na REDE GNI lutamos por viver na imparcialidade.

Nossas fontes de rendas são os anúncios dos patrocinadores, hits/cliques pagos pela Google quando uma reportagem é acessada e reportagens institucionais.

Para o leitor que acessa é um conteúdo 100% gratuito, por isso apenas pedimos que acessem nossas reportagens (aquelas que forem do seu interesse), se puder, compartilhem e respeitem a nossa força de vontade de encarar insultos, xingamentos, ameaças de morte diárias e cancelamentos, pelo puro prazer de te deixar bem informado.

Quem não se informa sobre o mundo em que vivemos, torna-se um alienado sem informação.

Pare, pense e reflita.

Léo Vilhena, Micaela Noronha, Lucas Fontes e Sandro Nogueira
Jornalistas da REDE GNI

error: CONTEÚDO PROTEGIDO