RedeGNI

Global News International

Agências de Notícias InternacionaisCorrupçãoDestaqueEconomiaEuropaFox NewsgovernoNegocios

Brasil: abuso do dinheiro do contribuinte

Lula e Janja estão hospedados em hotel de alto luxo, na Itália, com diárias a partir de R$ 71 mil

Nesta quinta-feira (13), o presidente Lula e a primeira-dama Janja embarcaram em mais uma viagem internacional, desta vez para a Itália, onde participarão de um encontro do G7, grupo do qual o Brasil não faz parte. A viagem segue o padrão de alto luxo das outras 18 realizadas pelo casal presidencial durante o terceiro mandato de Lula. A informação é do site Diário do Poder.

O casal se hospedará no Borgo Egnazia, um dos hotéis cinco estrelas mais caros da Europa, com diárias que ultrapassam R$71 mil. A “Casa Meravigliosa”, onde ficarão, oferece 250 m² de espaço, incluindo um jardim privado com pátio, terraço, cobertura e uma piscina de 15m x 7m. O hotel também oferece aperitivos no badalado Bar del Portico e acesso a uma partida de golfe

Entre os luxos disponíveis, o famoso banho romano se destaca: uma sessão de 50 minutos na qual os hóspedes podem alternar entre piscinas de diferentes temperaturas.

Para comparação, a cantora Madonna gastou cerca de R$ 84.000 por noite ao reservar todas as sete suítes presidenciais em um andar no Palácio de Copacabana, no Rio de Janeiro. As altas despesas da viagem de Lula e Janja, bem como o padrão de luxo adotado em suas viagens anteriores, foram alvo de críticas em Brasília, onde o casal foi apelidado de “desperdiçadores” devido aos seus gastos aparentemente ilimitados.

A viagem à Itália, apesar de não ser membro do G7, faz parte das atividades internacionais do presidente Lula, que busca aumentar a presença do Brasil em fóruns internacionais e fortalecer as relações diplomáticas. No entanto, os altos custos dessas viagens levantaram questões sobre o gerenciamento de recursos públicos.

Esta viagem é outro exemplo do estilo de vida luxuoso adotado pelo casal presidencial, que continua a gerar debate e controvérsia tanto entre os apoiadores quanto entre os críticos do governo.